Língua e Linguagem

Atenção, alunos!! Matéria do Primeiro Bimestre / Primeiro Ano Ensino Médio.

Principais conceitos:

1.O que é cultura?

É todo fazer humano que pode ser transmitido de geração para geração, através da linguagem. A cultura é a soma de todas as realizações do homem.

2. O que é código?

É um sistema de signos (palavras) e também o conjunto de regras para a sua combinação.

3. O que é linguagem?

É todo sistema de signos, verbal ou não verbal, que serve como meio de comunicação entre os indivíduos.

4. O que é língua?

É a linguagem verbal utilizada por um grupo de indivíduos que constituem uma comunidade, como qualquer outro código, é formada por um conjunto de sinais combinados de determinada maneira, de modo a possibilitar a transmissão de uma mensagem.

5.O que é fala?

É a utilização individual da língua.

6. O que são níveis da fala?

São vários modos de usar a língua segundo o meio sociocultural em que vive o indivíduo.

 

Língua e Linguagem

A Língua, nas palavras de Francis Vanoye, “é um caso particular de um fenômeno geral, a Linguagem, que é estudada pela linguística geral.” (VANOYE, Francis, 1981, pp.29).

Língua é a linguagem verbal utilizada por um grupo de indivíduos que constituem uma comunidade e como qualquer outro código, é formada por um conjunto de sinais cominados de determinada  maneira, de modo que possibilita a transmissão de uma mensagem.

A linguagem é todo sistema de signos que serve como meio de comunicação entre os indivíduos. A linguagem pode ser verbal ou não-verbal. Verbal quando se utiliza de palavras de forma oral ou escrita e não-verbal quando engloba gestos, sinais, expressões fisionômicas e tudo o mais que não envolva palavras.

Esquema de comunicação com certo número de elementos com o objetivo de transmitir a mensagem. Fonte: Vanoye, 1981, p. 15

Resumindo o esquema acima, para haver comunicação é preciso que tenha dois elementos principais: o emissor e o receptor. O emissor deve ter algo a comunicar e ambos precisam conhecer o código  utilizado (por exemplo, ambos precisam saber a mesma língua). Além disso, há que se considerar um canal no qual a mensagem está sendo veiculada (podem ser o ar, quando emitida oralmente, a escrita, o rádio, a televisão etc.). Não se pode esquecer o sexto elemento: o contexto, pois toda mensagem está inserida em um contexto específico que se, fora dele, pode não significar muito ou ter o seu significado deturpado ou ainda invalidado.

Diante disso, é interessante que possamos entender a definição de seis funções que foram desenvolvidas por Roman Jakobson. Cada um dos seis elementos é responsável por uma função estabelecida pela linguagem no contexto de comunicação.

1. A função emotiva que está centrada no emissor e que revela tudo o que está relacionado a ele.

2. A função conativa é a função que está direcionada ao destinatário da mensagem. Geralmente usa-se o imperativo ou o vocativo para marcar essa comunicação:

Exs: Imperativo: “Faça silêncio.”, “Não fume.”… Vocativo: “Professor, desculpe o atraso.” , “João, poderia emprestar-me a caneta?”..

3. A função poética é a que está centrada na mensagem e em todos os elementos que evidenciam a função dos signos (palavras), o ritmo, a sonoridade etc. Na poesia a função poética é dominante, mas ela também aparece em outras expressões linguísticas promovendo impacto como, por exemplo, nos slogans publicitários.

Ex: “Pense forte, pense Ford.” (Faz uso da aliteração, repetição de sons.

4. A função metalinguística está centrada no código, ou seja, tudo aquilo que explica a própria língua.

Ex: Os dicionários.

5. A função referencial é a que está centrada no referente e dá prioridade aos fatos, aos dados concretos. No nosso dia a dia, podemos identificar a função referencial contida nas páginas de jornais.

Ex: “Jovens atiram em padre em arrastão no metrô de SP.” (O Globo, 06/06/2015)

Agora veja como fica  o esquema de comunicação completo:

Foi Saussure o primeiro a diferenciar Língua de Linguagem. Segundo Saussure, “A Linguagem tem um lado individual e um lado social, sendo impossível conceber um sem o outro. (…) A cada instante, a linguagem implica ao mesmo tempo um sistema estabelecido e uma evolução: a cada instante ela é uma instituição atual e um produto do passado.” (SAUSSURE, 1991, pp.16).

E o que é língua afinal? “Ela não se confunde com a linguagem, é somente uma parte determinada, essencial dela(…) é um conjunto de convenções necessárias, adotadas pelo corpo social para permitir o exercício dessa  faculdade nos indivíduos.” (SAUSSURE, 1991, pp.17).

Saussure também trouxe para a linguística, em seus estudos sobre a língua e a fala (langue e parole) o conceito de fala que ele define como um ato individual de vontade e inteligência em que o indivíduo é sempre senhor. Portanto a junção da língua com a fala resulta na linguagem.

Outro ponto importante que Saussure apontou foi a questão do signo linguístico, pois o signo é o resultado do significado mais o significante. O que podemos compreender no esquema abaixo:

SIGNO LINGUÍSTICO

Podemos interpretar o esquema acima, segundo Saussure, que o laço que une o significante ao significado é arbitrário. Portanto, o signo linguístico é arbitrário. “O significante é imotivado, isto é, arbitrário em relação ao significado, com o qual não tem nenhum laço natural na realidade.”

Portanto, compreender a relação entre língua e linguagem e a importâncias que elas têm para o estudo da linguística, é u ma condição indispensável. Fechamos com as citações de Saussure:

 “…não é a linguagem que é natural ao homem, mas a faculdade de constituir uma língua, vale dizer: um sistema de signos distintos correspondentes a ideias distintas.”  (SAUSSURE, 1991, PP.18).

Bibliografia:

MUSSALIN, Fernanda; BENTES, Anna Christina. Introdução à Linguística 1. São Paulo: Cortez Editora, 2001.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 1991.

VANOYE, Francis. Usos da Linguagem: Problemas e técnicas na produção oral e escrita. Martins Fontes, 1981.

 

 

 

 

Deixe uma resposta